sexta-feira, 31 de julho de 2015

Aniversário do Novo Rock lota o Imperator com Verbara, Hell Oh e Far From Alaska

Mais de mil jovens comemoraram noite passada o primeiro aniversário do projeto Novo Rock no Centro Cultural João Nogueira, o Imperator, no Meier. Fiquei impressionado com a banda Far From Alaska, natural de Natal, Rio Grande do Norte, que realmente fica longe do Alasca. 

Uma formação excepcional que poderia tocar no Palco Mundo do Rock in Rio par a par com os gringos, até porque canta em inglês, a única coisa que lamento. Se cantasse em português seria  a maior nova banda do Brasil, mas por renegar a língua, se me nego a proclamá-lo, visse? E também porque obviamente não ouvi todas as novas bandas do Brasil. Mas esse tipo de classificação não interessa, é uma puta banda e pronto.

Canta em inglês e fala no mais legítimo sotaque nordestino, essi minino (sic). Pra que renegar sua língua? Olhe que me impressionar é difícil viu, de tanto rock que já vi nessa vida. Uma formação extremamente coesa com arranjos sofisticados que levam as canções para lugares inesperados, fora da lógica  do que se expõe no início, como mandam os preceitos de mistura de estilos do tal de stoner rock. 

A segunda vocalista, Cris Botarelli, é um fenômeno, arrasa em teclados, efeitos e numa lap steel guitar, primeira vez nestes meus longos anos que vejo uma música (musicista?) brasileira tocar esse instrumento. A vocalista Emmily Barreto tem um timbre áspero, bem nordestino, quando junta com o timbre mais suave de Cris faz um belo efeito. Emmily usa recursos de delay para vocalizar com ela mesma e um programa que torna sua voz gutural. Rafael Brasil (guitarra), Edu Filgueira (baixo) e Lauro Kirsch (bateria) são igualmente criativos em seus instrumentos,  muitas vezes, entre as variações dos arranjos, fazem levadas de hard rock pra galera pular.

 Por falar nela, uma plateia jovem, bonita, roqueira até o talo e sintonizada com o novo  rock, não alienada pelo mainstream breganejo luanesco. Presentes também muitos integrantes de bandas do coletivo #ACenaVive. O DJ João Rodrigo incendiou a pista nos intervalos, especialmente no anterior ao show principal, quando as rodas de pogo tomaram conta de parte do salão. No telão projeções diversas e uma retrospectiva do primeiro ano do novo rock pelo VJ Luciano Cian.

A noite teve uma abertura divertida com a banda carioca Verbara, reforçada por um naipe de sopros para fazer um som que remete à música brega dos anos 70, aquela do interiorzão mesmo, com incursões pelo ska e rockabilly. Com pegada de rock'n'roll big band. O vocalista Kadu Parente tem aparência mesmo de cantor de cabaré do interior e tira o maior sarro com isso. Show criativo de uma banda bem entrosada e original, com personalidade própria. Completam a formação Rodrigo Belço (bateria), Iuri Nascimento (guitarra) e Gabriel Gomes (baixo).

A Hell Oh! é uma banda indie de Friburgo, região serrana do Rio, que também canta em inglês. É uma boa banda, entrosada, com um interessante trabalho de duas guitarras de Marcus Vinícius e Raphael Cunha, este também vocalista com um timbre que emula Brian Molko, vocalista do Placebo. Além deles, Marco Tulio (bateria) e Maycon Rocha (baixo). A  banda tem um  problema de dinâmica. As músicas são curtas e demoram entre uma e outra, uma dose de emendas one two three four ao estilo Ramones melhoraria bastante o show deles. Ao abrir mão da comunicação imediata por cantar em inglês, a banda precisa se garantir no dinamismo para dar bom ritmo à apresentação.

O grande homenageado da noite pelas bandas foi Paulo Lopez, diretor do Imperator, que bancou a ideia de abrir espaço para bandas de rock novas há um ano. E que espaço! A infra do Imperator é de primeira, uma bela casa, nova e bem cuidada, com espaço de pista e arquibancadas, capacidade para 1050 pessoas. Som de qualidade, a porradaria que o rock precisa, e uma iluminação pequena mas bastante eficiente, com lasers e moving lights. 

O rock continua hoje e amanhã no Imperator. Hoje, sexta, é o lançamento do primeiro álbum da banda Folks, uma das minhas favoritas da nova safra, com abertura da banda carioca Memora. E sábado tem Detonautas Rock Clube com abertura da Diabo Verde.
Rock On Imperator!

Um comentário:

  1. o evento foi excelente mesmo! na verdade vem sendo. Parabéns pelo blog pelo txt, enfim ;)

    ResponderExcluir