sexta-feira, 24 de julho de 2015

Roger Waters relança Amused To Death com nova capa e em DVD Audio 5.1




Roger Waters relança hoje, 24 de julho, seu terceiro álbum solo Amused To Death, de 1992, com uma nova capa e trabalho gráfico,  com formatos que incluem um DVD áudio em 5.1. O pai de Waters, Tenente Eric Fletcher, foi morto na batalha de Anzio na Segunda Guerra, daí o tema dos conflitos armados e suas consequências  se tornarem um tema recorrente na obra dele, principalmente em The Wall e sequência, The Final Cut, suas obras derradeiras com a ex-banda Pink Floyd.


Jeff Beck na guitarra


Amused to Death segue a mesma linha. Atira para todos os lados em críticas à violência. Trata-se de um disco conceitual que parte de um macaco diante de uma televisão zapeando aleatoriamente e daí vão surgindo os temas das canções. 

Late Home Tonight, por exemplo, fala do ataque americano contra a Líbia em 1986, Watching TV  dos protestos chineses na Praça da Paz Celestial, em 1989. The Bravery of Being Out of Range trata das invasões americanas do Iraque e Afeganistão. Como sempre nas obras de Waters, há sons grandiosos e recurso a falas, ruídos, aviões, cavalos, cachorros, grilos.

Em CD, vinil e DVD audio

Rogers se inspirou depois de ler o livro Amusing Ourselves to Death, de Neil Postman, que compara a televisão à droga Soma de Admirável Mundo Novo, de Aldoux Huxley, em que as pessoas são alienadas pela diversão. Isso antes da criação da internet, instrumento bem mais poderoso que a televisão, sob esta perspectiva. O livro é de 1985.


Roger fala de todas as músicas


"Me veio a imagem deprimente de alguma criatura alienígena chegar ao planeta para investigar nossa destruição e encontrar nossos esqueletos sentados diante das TVs. Ficaram pensando o que teria acontecido e concluíram que nós morremos de tanto nos divertir," disse Roger Waters.

Há farto material sobre o relançamento na internet. Divirtam-se, mas não até a morte.

Um comentário: