segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Eric Clapton e Yes em coletâneas e Duran Duran em relançamento

FOREVER MAN – ERIC CLAPTON




 Esta coletânea dupla reúne material ao vivo (CD2) e de estúdio (CD1) em álbuns lançados da década de 80 para cá. O recorde de sucesso foi o Acústico MTV de 1992 com um disco de diamante na América, equivalente a 10 milhões de cópias. Puxou o disco a canção Tears In Heaven, composta por ele em memória do filho, Conor, de quatro anos e meio, que caiu da janela do apartamento onde morava com a mãe no 53º andar de um prédio de Manhattan. No CD ao vivo estão quatro canções deste disco, Tears In Heaven , Layla, Nobody Knows You When You’re Down And Out e Walking Blues.





Os discos de estúdio mais relevantes do período foram From The Cradle (1994), de standards de blues, representado por Motherles Child no CD1 e também Riding With The King (2000) em parceria com o mestre B.B. King, representada pela excelente faixa título. Clapton lançou também Me and Mr. Johnson num disco e DVD dedicados ao fundamental Robert Johnson e na coletânea está Little Queen of Spades. Outro de bom resultado comercial foi  Journeyman (1989) com duas faixas aqui Pretending e Bad Luck. Estão representados álbuns menores como Pilgrim, Behind The Sun e Money And Cigarretes.
No CD ao vivo estão sucessos anteriores ao período do CD1 como Layla, Badge, Wonderful Tonight e Sunshine of Your Love, das fases solo, com Cream e Derek & The Dominos.


PROGENY: HIGHLIGHTS FROM SEVENTY TWO – YES





Neste álbum duplo estão reunidas músicas do Yes gravadas em 1972, como diz o título. É um resumo de um lançamento gigante de 14 CDs com sete concertos completos da banda naquela turnê (custa 70 dólares na Amazon). Foi o ano em que Rick Wakeman entrou no lugar do demitido Tony Kaye na tecladaria e Alan White na bateria em substituição a Bill Bruford, que foi pro King Crimson. Pela presença de Wakeman há trechos de The Six Wives of Henry The Eight, seu álbum solo, lançado em janeiro de 1973. Como a gravação ao vivo é de novembro de 1972, tratou-se de uma prévia para os fãs da Carolina do Norte, onde foi gravado o concerto. 

Nos dois CDs estão os grandes sucessos amealhados em três discos: The Yes Album (1973) com I’ve Seen All Good People e Yours Is No Disgrace. Do estouradaço Fragile (1971) Heart Of The Sunrise, Mood For A Day e Roundabout e a faixa-título de Close To The Edge (1972) e And You And I do mesmo álbum. A capa dupla segue o estilo das capas feitas por Roger Dean para a banda. Parecem as montanhas aladas de Pandora em Avatar. Grandes momentos do rock progressivo por uma banda no auge da forma e da criatividade.

RIO - DURAN DURAN (RELANÇAMENTO)





Algumas músicas deste disco foram uma febre nas danceterias cariocas nos anos 80, impulsionadas também por belos vídeos num momento em que os clipes eram novidade e o desta banda muito bem feitos. Sem falar que leva o nome da cidade, ideia do baixista John Taylor: “O Rio para mim era a quintessência de um lugar exótico, uma cornucópia de delícias terrenas, uma festa que nunca acaba,” disse ele. (Cornucópia na mitologia grega era símbolo da fertilidade, riqueza e abundância, um vaso em forma de chifres com frutas e flores saindo dele). O disco é de 1982 a banda veio ao Brasil pela primeira vez em 1988, mas não achei impressões de John sobre a cornucópia carioca.





Rio, Save a Prayer e Hungry Like The Wolf foram as canções mais populares aqui com os clipes e os remixes que o grande DJ Dom Pepe botva para sacudir a pista do Noites Cariocas nos anos 80. O disco traz como faixas bônus remoxe de Rio, Lonely In Your Nightmare, Hungry Like The Wolf, Hold Back The Rain e um Carnival Remix de My Own Way.

Um comentário:

  1. Rio é um album fantástico e este mes fez 35 anos!!
    DURAN DURAN É 10

    ResponderExcluir