terça-feira, 4 de agosto de 2015

Rodrigo Santos recebe o guitarrista do Police Andy Summers para turnê em sete cidades


Andy Summers e Rodrigo Santos - Fotos do ano passado

O grande destaque rock em agosto é a temporada do guitarrista do Police Andy Summers com o Barão Vermelho Rodrigo Santos e seus Lenhadores, Fernando Magalhães, também do Barão, e Kadu Menezes, ex-Kid Abelha, ex-Lobão e muitos ex mais. Andy se tornou amigo e parceiro de Rodrigo em nove músicas, já estiveram juntos em quatro datas no Brasil ano passado e agora vem um repeteco ampliado. Serão nove shows em sete cidades. Além disso, Andy fará uma exposição de fotos em São Paulo e lançará sua biografia no Rio e em Belo Horizonte (veja roteiro no final).

Abaixo, uma entrevista com Rodrigo sobre a temporada e sua carreira solo.

Você produziu uma temporada maior este ano com o Andy Summers. Parece que ele está bem receptivo a fazer shows aqui e que se amarrou na temporada passada né?

Sim. Gostou muito de tocar com a gente e os shows fluíram muito bem. Houve uma química e sinergia no palco. Dessa vez ele está mais feliz ainda, pois haverá também o lançamento da biografia e a exposição de fotografias em São Paulo na Leice Gallery.  E junta-se a isso a parte musical, fica muito prazeroso! Luiz Paulo [empresário de Rodrigo] e eu fizemos isso tudo se tornar uma realidade mais palpável para darmos sequência sempre que possível. 

Andy, Rodrigo, Kadu e Fernando - shows ano passado

O que o Andy representa pra ti como pessoa e músico?

Andy é o catalisador do Police - as guitarras que ele criou o colocam entre os 10 maiores guitarristas da história do rock, pois ele não foi mais do mesmo. Criou uma linguagem única, nova e moderna. Uma guitarra que preenchia como teclados e combinava perfeitamente com aqueles baixos econômicos e marcantes de Sting e a bateria louca de Stewart Copeland. Ele fez a ponte entre os dois. São guitarras perfeitas, lindas.  É ligado a jazz, reggae, punk, rock e bossa nova. Um músico completo e um artista idem. Ao mesmo tempo está com uma exposição de fotos maravilhosas,  em preto e branco, já mostrada na China e em New York. Além de um livro em que conta como entrou no Police, sua história pessoal e um filme com imagens registradas por ele desde a época do Police (assim como na exposição, o filme tem muita coisa de tudo - e se chama Can't Stand Losing You, exibido na HBO em rede mundial). Compus nove músicas com ele e vejo que está em plena forma musical. Um garoto. E me escolheu pra ser o parceiro dele no Brasil, principalmente de rock'n'roll. Como pessoa, nem preciso dizer: doce, gentil, inteligente, humor inglês e sarcástico e uma pessoa hiper do bem. Um cara nota mil. Eu o respeito muito. Quase venero. Eu escutava Police com 18,19 anos.


Fernando, Frejat, Rodrigo e Andy - ano passado Teatro Oi Casa Grande



E o repertório, a parte sua com os Lenhadores será só Barão Vermelho de Novo? 

A turnê será a mesma do ano passado, igualzinha. Só que em mais lugares. Desta vez, menos Barão e mais Police. Andy gosta de shows curtos - serão cinco ou seis do Barão e umas 12 do Police.  A ideia é mostrar o que queremos fazer agora. Dois caras de bandas gigantes que querem se divertir com o próprio repertório. Não me importa tocar Remédios, mas já estamos diminuindo a parte Barão. E também me mostrar como cantor de dois tipos diferentes de regiões vocais e de mostrar que tenho uma banda que gosto de manter viva comigo, como vocalista, no meu show. 

O novo CD e DVD A Festa Rock será lançada em setembro no Rock in Rio. A turnê com Andy é em agosto. Esta tour me mostra como intérprete de Barão e Police, coisas completamente diferentes e que exigem concentração como baixista e cantor ao mesmo tempo. E isso ao lado de um ícone, com muita mídia, mais cidades e muito mais diversão. É entretenimento. O dia em que quisermos fazer autoral intimista, temos músicas pra isso. Minha carreira solo não encaixa na parte Barão nem na parte Police. 


Fernando, Andy e Rodrigo

Como anda a sua carreira solo, quantos shows por mês. Vocês já tocaram em todos os estados do país? 

Todos. São de 15 a 20 shows  por mês. Festas fechadas, formaturas, casamentos, pubs e festivais abertos, teatros para lançar discos novos. Enfim, me transformei em dois Rodrigos. Gosto dos dois. rs . E vem aí CD/DVD, e dois livros lançados até agosto ou novembro. 

O repertório de show e da Festa Rock é basicamente da Geração 80 do Rock e a gente vê que esta geração  continua presente e agrada aos jovens de hoje em dia. Na novela teen Malhação o rock dos anos 80 predomina.  E muitas bandas continuam em atividade e lotam lugares em todo o país.  Em que você acha que sua geração contribuiu para a música brasileira e porque acha que a garotada de hoje ainda curte tanto?

Acho que os textos são fundamentais pra longevidade da obra. Todos da minha geração vieram ligados a grandes escritores, poetas, sociólogos, políticos, ditadura, filosofia, guerras, guerrilhas urbanas, etc. O próprio jeito de falar de amor e a outro. Acho que isso não acaba nunca. É como escutar Beatles. Sempre haverá a diferença da qualidade. Soubemos fazer isso numa época em que o rock não era moda. Nós o tornamos moda e expulsamos a MPB chata das programações das rádios. Depois o axé, pagode e sertanejo nos expulsaram. E o rap ficou com as grandes letras. Méritos pra Gabriel O Pensador e Charlie Brown. Dos diferentes, o Nando Reis é o melhor. Minha geração fez a transição de Caetano e Gil para o rock. Abriu as portas das majors e das rádios em rede, quebrou a programação internacional, e apresentou um grande disco atrás do outro. Vindo de todos os estados do Brasil. De maldito, o rock passou a dar as cartas. E depois naufragou no sucesso do pôquer. Ainda assim, Cazuza, Renato e outros estão eternizados. Por isso a garotada vai descobrindo. Da mesma maneira que eu descobri Raul Seixas e Rita Lee quando eu era criança. É por aí. 



Fernando, Andy, Rodrigo e Kadu

Você tem patrocinador para esta turnê ou banca tudo sozinho?

A outra banquei tudo sozinho. Esta consegui vender tudo e ter alguns patrocinadores. E, caso haja lucro, dividiremos eu e  meu empresario/sócio Luiz Paulo Assunção. Já estão esgotando os ingressos em várias cidades. Será muito bom. Andy terá três coisas diferentes - exposição, biografia e shows. E nós queremos diversão acima de tudo. O resto já está na mão.  O lance é tocar, improvisar e gargalhar! Ano que vem tem mais! 


A programação completa:

Dia 06/08 - Exposição de fotos na Leice Gallery em SP 
Dia 07/08 - Único ensaio
Dia 09/08 - Estreia da tour em Macaé - Macaé Lagoa Rock, 17h - Lagoa de Imboassica
Dia 10/08 - Show em Belo Horizonte MG - fechado para patrocinador
Dia 11/08 - Lançamento da biografia de Andy One Train Later - Belo Horizonte, 19h
Dia 12/08 - Show em Belo Horizonte aberto ao público - Teatro Bradesco
Dia 13/08 - Day off em Belo Horizonte e depois viagem para Campo Grande, Mato Grosso do Sul
Dia 14/08 - Show em Campo Grande - Grito do Rock, 22h
Dia 15/08 - Show em Goiânia GO - Bolshoi Pub, 22h
Dia 16/08 - Show em Niterói - Praia de São Francisco, 20h, gratuito
Dia 17/08 - Day off
Dia 18/08 -Lançamento da biografia One Train Later - Rio / Travessa do Leblon, 19h
Dia 19/08 - Show em São Paulo - Bourbon Street, 22h
Dia 20/08 Day Off Rio
Dia 21/08 Show no Rio de Janeiro - Jóquei Clube, Gávea - Gratuito, 21h
Dia 22/08 Show de encerramento da turnê - Cidade surpresa, a divulgar na semana do show

Nenhum comentário:

Postar um comentário