sábado, 17 de outubro de 2015

Legião Urbana cai na estrada nesta sexta em Santos. Saiba tudo sobre o show

Dado Villa-Lobos - Fotos de Cleber Junior

Estive na noite de sexta passada no ensaio geral da Legião Urbana para a turnê de 30 anos do primeiro disco deles, lançado em 1985. A primeira parada será dia 23, nesta sexta, no Mendes Convention Center, em Santos. O show é dividido em duas partes. Na inicial tocam o primeiro disco inteiro na ordem original. Na segunda fazem um apanhado da carreira.

Marcelo Bonfá

André Frateschi, o vocalista escolhido para a turnê, dá conta do recado, é do ramo. É ator também, mas não é como um ator anterior que não segurou a onda. Canta com convicção e faz justiça às letras do gênio que as criou. Dado Villa-Lobos e Marcelo Bonfá, The Originals, cantam algumas e fazem vocais em interpretações corretas.


André Frateschi


Pra mim que vi  muitos shows com o Renato é difícil aceitar outros intérpretes, dá uma travada nos ouvidos, várias vezes lembrei dele, aquela figuraça com um timbre potente, a dança maluca, aqueles discursos doidos, os papos nos camarins e no Baixo Leblon. Enfim, vida que segue.




O que trava o show é que Dado Villa-Lobos convocou, como convidados, três jovens, um cara e duas meninas, para cantar na segunda parte, os três claudicantes (nem vou dizer os nomes) e aí vira um karaokê de luxo. 



Uma das meninas maltratou um dos grandes hinos da banda, Monte Castelo, tive vontade de sair porta a fora. A segunda  acabou com Meninos e Meninas e Dezesseis. O garoto cantou Fábrica e 1965 (Duas Tribos) e imitou a dança maluca do Renato, mas não convenceu. Paulo Miklos, dos Titãs, é o único convidado que salva, mas ele estava rendido, não tinha ensaiado, me disse no camarim que mudaram as músicas dele e agora tem uma semana para decorar e ensaiar. Quando André voltou ao palco, o povo aplaudiu, sinal de que o karaokê não agradou.


O show, aliás ensaio geral, começou morno, na hora pensei que era o normal em começo de turnê, ainda mais de uma banda com novos integrantes, mas lá pela quarta música, Ainda é cedo, começou a melhorar e foi num crescendo até Teorema. A última do disco, a suave Por Enquanto, começou soft com a tecladaria, vocal de André sem Dado no palco, baixo e batera entraram, Dado voltou e comandou um final pesado, diferente do disco. A primeira parte durou 41 minutos, o disco tem 37 minutos. Poucos improvisos.



A segunda parte começa com uma fala do Renato sobre a banda ser de Brasília e pouco aparecer lá, acho. Fui pego de surpresa, liguei o gravador pra pegar, mas é novo, não acostumei, me enrolei. A segunda parte mistura sucessos com lados B tudo no maior pique até a brochada depois de Há Tempos com o karaokê de Luxo, que que toma muito tempo, no meio Bonfá canta Pais e Filhos junto com o público e André volta aplaudido para o fim do ensaio/show com Perfeição, em que divide o vocal com Dado (mas devia ser só André, a música pede porrada). 

O bis teve quatro canções. André mandou muito bem Faroeste Caboclo, Bonfá canta Teatro dos Vampiros, Dado Índios e todos Que País É Esse, com a devida resposta da plateia “é a porra do Brasil.” Este é o show que vai correr o Brasil. Se tivesse como convidado apenas Paulo Miklos iria num crescendo até a explosão final, mas trava no meio com os “convidados”. A segunda parte teve 91 minutos.




No camarim muitos contemporâneos da Legião. Além do citado Miklos, Paula Toller, que comentou comigo sobre a passagem rápida destes 30 anos, acho incrível também como passa e a gente nem sente. Engatei um  papo sobre mixagem 5.1 com o grande produtor Liminha, que me deu ótimas dicas sobre o assunto. Dei parabéns ao André Frateschi e ele me deu seu disco solo, falei rápido com Dado e Bonfá, muito solicitados, Fausto Fawcett passou sem me dar papo e falei com a musa da geração, Fernanda Abreu, que me disse estar nos finalmente de seu primeiro disco de inéditas desde 2004 e puxou o barco antes que lembrasse de perguntar o nome do álbum. Roubei o setlist da parede, tomei dois copos do precioso líquido bem gelado e me mandei.



Parte um – Primeiro disco na íntegra
Será – Vocal – André e Dado
A Dança – André canta Dado faz vocal
Ainda é Cedo – Bonfá canta, André e Dado vocal
Perdidos no Espaço – Bonfá voz
Geração Coca Cola – André canta, Dado e Bonfá vocais
O Reggae – André canta
Baader Meinhoff Blues – André canta com Dado e Bonfá
Soldados – André voz, versão pesada, Bonfá arrasa na bateria.
Teorema – André canta, banda já no maior pique.
Por Enquanto – André canta
Fim do primeiro disco, intervalo curto
Parte 2
Tempo Perdido – Dado e Bonfá voz
Daniel Na Cova Dos Leões – André canta
Quase Sem Querer – André canta, Dado faz solo arrasador
Há Tempos – André canta
Fábrica – Convidado um voz 
1965 – Idem Dado e Bonfá vocais
Eu Sei – Convidada um voz, Dado voz no final
Monte Castelo – Convidada um voz
Mais Do mesmo – Paulo Miklos voz
Conexão Amazônica – Idem
Pais e Filhos – Bonfá canta
Meninos e Meninas - Convidada dois canta
Dezesseis – Convidada dois mais Convidado um cantam
Perfeição – Dado e André cantam
FIM
Bis
Faroeste Caboclo – André arrasa na voz
Teatro dos Vampiros – Bonfá canta
Índios – Dado canta
Que País É Esse – André e todos no vocal.

Banda: 
Dado Villa-Lobos - guitarra, voz e vocal
Marcelo Bonfá - bateria, voz e vocal
André Frateschi - voz, vocal e bateria em Pais e Filhos.
Lucas Vasconcellos - guitarra
Mauro Berman - baixo 
Roberto Pollo - teclados


8 comentários:

  1. Jamari, parabéns pelo teu blog!! Sempre que quero ficar atualizado, visito... kkk. Muito obrigado!! Também tenho um blog sobre música: http://umaartedasmusas.blogspot.com.br/. É meu convidado para visitar... Abraço!!

    ResponderExcluir
  2. Essa dos convidados parece ser uma ideia que vai cair no decorrer da turnê...

    ResponderExcluir
  3. Esperando ansiosamente pelo show em SP! Muito bom o blog :)

    ResponderExcluir
  4. Esperando ansiosamente pelo show em SP! Muito bom o blog :)

    ResponderExcluir
  5. Significado de Ensaio
    s.m. Experimentação prévia destinada a verificar se algo serve ou não para determinado fim.
    Exame, prova, análise, experiência, verificação.
    Tentativa: um ensaio de reação.
    Trabalho preliminar por que passa a montagem de um espetáculo teatral, musical etc., bem como o treinamento dos intérpretes, em sucessivas representações experimentais, antes da estréia.
    Química Análise de um produto químico.

    Sinônimos de Ensaio
    Ensaio é sinônimo de: experiência, experimento e tentativa

    Definição de Ensaio
    Classe gramatical: substantivo masculino
    Flexão do verbo ensaiar na: 1ª pessoa do singular do Presente do Indicativo.
    Separação das sílabas: en-sai-o
    Plural: ensaios

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ensaio geral significa o espetáculo pronto, o que vai estrear, ainda que seja possível fazer ajustes, mas é mais do que ensaio.

      Excluir
  6. Sou meio pé atrás com este tipo revival. Tem que se ter o cuidado na escolha do material apresentado, e principalmente no que irá ao palco dar a cara a tudo isso. Não posso falar do que não vi, mas o que foi ricamente descrito pelo amigo. Tive oportunidade de ver a Legião em seu primeiro show no Rio, abençoada pela Lona do Circo Voador, no Festival Rock Made in Brazil. De lá até o Show do Metropolitan, na última turnê, dá pra ver a evolução da banda e o refinamento que passou quase por inteiro pela cabeça do Renato. Infelizmente o que você descreveu na organização e condução do set list da pra ver o porque que o Dado e o Bonfá tinham uma ingerência limitada na montagem dos shows da banda. Eles tem todo o direito de tocar o material da banda, mas há de se ter cuidado em como isso virá em cima do palco. Com o risco de se transformar em um grande karaokê de churrasco de amigos no final de semana, com o detalhe de todos estarem sóbrios. Apenas acho que eles demoraram muito a cair de novo na estrada, mas eles tem o direito de faze-lo, apenas acho que faltou aquele amigo chato que não fica dando tapinha nas costas dizendo que está tudo bem. Boa sorte, senhores!!

    ResponderExcluir
  7. Vi um artigo do Arthur Dapieve hoje (23/10) em que ele também comenta o incômodo que sentiu nos vocais dos 3 jovens convidados. Uma pena que Dado e Bonfá tenham optado por eles. Tanta gente que poderia segurar a onda e que são da mesma geração como Herbert, Frejat, Tony Platão, Paula Toller e até mesmo a Fernanda Abreu. Mas enfim, não vi uma data para o Rio, espero que eles tenham planejado alguma coisa.

    Me arrependo até hoje de não ter ido ao último show deles no Rio, no Metropolitan em 94. De toda forma, ainda que a ausência do Renato seja muito sentida, é sempre bom ouvir suas músicas, especialmente se são tocadas por seus companheiros de banda.

    Até que aparece uns entusiastas que acabam com os vocais... rsrs

    ResponderExcluir