sábado, 31 de outubro de 2015

Vespas Mandarinas dão rasante impecável no Imperator

Vespas Mandarinas - Fotos de Thaís Monteiro

Há algum tempo não me empolgo tanto com um show de rock como o do quarteto paulista Vespas Mandarinas, que abriu o final de semana rock do Centro Cultural João Nogueira, o Imperator.  Hoje é a vez do Matanza, com ingressos esgotados, abertura da banda Rats e domingo Dead Fish, com abertura de Nove Zero Nove. Meier Rocks. O Imperator é uma boa opção para quem gosta de rock, tem dado oportunidade para bandas novas através da série Novo Rock, que nesta quinta foi aditivada com a presença das Vespas Mandarinas. Eles lançaram em 2013 o álbum Animal Nacional e já se encontram no estúdio Tambor, aqui no Rio, para gravar o segundo álbum com o produtor Rafael Ramos, o mesmo do primeiro disco.

A banda de abertura, Sound Bullet, ainda não tem um som bem amarrado, acerta em algumas composições, mas no geral se mantém num nível médio. Se assistiram as Vespas devem ter aprendido boas lições sobre pesquisa de timbres, sobre como trabalhar com duas guitarras de maneira criativa e, principalmente, como fazer boas letras.  Mesmo assim contam com um fã clube razoável que dividiu vocais com as bandas.

Além as Vespas, o destaque da noite foi a plateia que pegou fogo certas horas com o som do DJ Marcos Sats em incrementada roda de pogo ao som de Sistem Of A Down, Bad Religion e Rage Against The Machine, entre outras, o que ajudou a passar o tempo na longa espera para o começo dos shows, junto com as projeções do VJ  Didi Moreno.  A apresentação das Vespas teve um começo morno e um final incendiário no bis com Pânico e Solidão, O Inimigo e Um Homem Sem Qualidades.  


Vespas Mandarinas

Guitarras limpas de Nevilton e Chuck Hipolitho a princípio numa parte que incluiu uma homenagem à Cult band Cabine C, de Ciro Pessoa com Neste deserto. Os Paralamas tiveram seu cult álbum Severino (1994) citado em O Vício e o Verso com a inserção do título da canção Navegar Impreciso e o refrão de Cagaço, do mesmo álbum paralâmico, em Um Homem Sem Qualidades: “Tenho cagaço de descer ladeira abaixo. Tenho cagaço de pensar demais."  O link com a Geração 80 do Rock Brasil se completou com a bela Acrilic On Canvas, da Legião Urbana, que a jovem plateia recebeu sem reação. Terá o discurso da Legião ficado para trás numa parcela jovem atual?

Interessante porque as letras das Vespas  demonstram algumas incomodações ao estilo do Renato Russo: “Passa-passatempo. Predileto. Invisível. De esmagar como a um inseto. Incansável, insensível, irascível. Te esvaziar dessa bondade piegas que há muito tempo te emburreceu.” (Um Homem Sem Qualidades). Idem em Distraídos Venceremos: “Sinto muito se é mais triste a verdade, cedo ou tarde se chega a essa conclusão. O herói é o último na fila dos covardes, aquele a quem não restou à outra opção. Cuidado ao matar os seus demônios. O equilíbrio vive entre a virtude e o vício. E a gente nunca sabe qual é o defeito, que sustenta esse nosso edifício.”



Sound Bullet

Rock que puxa pelo pensamento em consistentes embalagens musicais. O baixista e vocalista Thadeu Meneghini, manda bem na voz, intérprete de muitas nuances vocais, tem momentos solo em que mete a mão no instrumento e em algumas canções divide os vocais com Chuck Hipolitho. Gosto de bandas com dois vocalistas, as intervenções de Chuck enriquecem muitas músicas, além dos timbres agudos e farpados de sua guitarra, em contraste com o timbre mais encorpado de Nevilton. Outro lance legal e fugir do esquema de um solar e o outro fazer base. Os dois solam em muitos momentos, o que dá pressão à sonoridade da banda.

Na metade da segunda década do século 21 temos finalmente uma cena rock substancial que preenche o vazio sonoro de novidades dos primeiros anos. Passada a lamentável cena emo, temos um cenário em que egressos fortes dos anos 90 como Matanza e Dead Fish, que ocupam o Imperator sábado e domingo, junto com bandas emergentes do Novo Rock que vicejam no mesmo lugar como Canto Cego, Nove Zero Nove, Facção Caipira, Folks, Drenna e outras com grande potencial de crescimento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário