sábado, 16 de abril de 2016

Fernanda Abreu volta renovada com single que cria ótima expectativa em relação ao álbum Amor Geral


Veja com a tela cheia (letra no final)

Fernanda Abreu volta em grande estilo após 10 anos com o single Outro Sim, prévia do álbum Amor Geral, com lançamento previsto para o próximo seis de maio, um mês excelente de boas vibrações, com seu nome derivado da deusa grega da fertilidade, Maya. E é isso que o single aponta, um momento de fertilidade criativa da Fernanda, musa do Rock Brasil dos anos 80, vocalista da banda que abriu os caminhos para a sua geração, a Blitz.

Outro Sim é uma parceria dela com Jovi Joviniano II e Gabriel Moura. Letra de espertos flagrantes, mil situações na linguagem do cotidiano, recortes da cultura do asfalto e das comunidades. A canção pega de prima, o cérebro manda o corpo balançar, mas também tem material para processar. A letra fala de recomeço, o que Fernanda está fazendo: “Outrora, outra vez, outro lar. Outro lugar, outra mulher, outro homem. O trem vai pra uma outra estação. Um outro inverno e lá vem outro verão.” 

Não sei se numa antecipação de eventuais críticas, ela manda: “Sempre haverá outra esquina. Outra beleza, outro cara, outra mina. Sempre haverá um mané, sem noção, um otário. Querendo atrasar.” Lembro que na época da Blitz ela batia duro nos que criticavam a banda. Outros tempos.

A parte musical é toda eletrônica, entre o reggaeton e o trip hop,  e me bateu a dúvida se esta seria a tônica do disco, já que é o single de apresentação, daí perguntei isso a ela. “O disco tem muitos músicos! Tem uma Valsa do Desejo com cordas e tudo mais, tem uma com pegada mais Rock-Funk Double Love tem ....” e mais não adiantou.





Sobre o single ela me disse: “Essa música foi arranjada por mim e Wladimir Gasper (nome artístico de Pedro Bernardes, ex marido de Marisa Monte e mega talentoso). Ele produziu e tocou tudo. Programação na veia! Subgrave, teclados, vocoders e programação feitos e tocados por ele.”

A base é impecável, montada em diversas camadas com efeitos em pan, percussão eletrônica com diversos beats, a voz dela dobrada com vocoder e com delay, frases de synth também ao fundo e programações voando pelos canais.

Fernanda sempre teve um bom gosto impecável. Daí o visual do disco entregue a Giovanni Bianco, (Anitta e Madonna) e um clipe focado na dança, sua arte primeira antes do canto, dirigido por Mini Kerti (longas Muitos Homens Num Só, Contratempo, A Ostra e o Vento). A produção é da própria Fernanda pelo selo Sangue Bom com distribuição da Sony Music.

Fernanda foi dos artistas de sua geração, o (a) que melhor soube se reinventar. Quando a Blitz acabou, ficou aquela impressão de que só o vocalista ia se dar bem, porque é sempre sobre ele que recaem as atenções, mas foi ela quem achou a saída mais esperta, aproximando-se da cultura dos morros cariocas, de onde tirou um estilo próprio dançante com um repertório bem estruturado por parcerias certeiras e a ajuda fundamental, para se lançar, do mestre Herbert Vianna. Depois se deu bem com as próprias pernas. Subiu, desceu, sumiu e reaparece com um single que cria ótimas expectativas em relação a Amor Geral.

Ficha Técnica do clipe:
Diretora: Mini Kerti
Diretor de Fotografia: Flavio Zangrandi
Coreógrafa: Daniella Lima
Figurinista: Claudia Kopke
Maquiador: Fernando Torquatto
Produtora: Bruna Inácio
Edição: Carol Donati, Edt.
Supervisor de Efeitos: ClaudioPeralta
Direção de arte gráfica: Valerycka Rizzo

Bailarinos: Raul Baldi, Camila Oliveira, Shirlene Paixão, Cristina Amadeo, Hamilton Da Fonseca, Josh, Marcello Taurino, Vanessa Garcia e Danilo D' Alma.

Conspiração
Diretora Executiva: Renata Brandão
Coordenadora Executiva de Projetos: Maíra Donoso
Gerente de Projetos: Vanessa Aragão
Estagiária: Laura Sampaio
Coordenador de Pós-Produção: Luiza Waddington
Finalização: Fernanda Figueira e Gabriella Leme
Marcação de cor: Claudio Peralta e ThiagoPires
Motion Design: Lilian Doring e Valeryka Rizzo
Composição: André Martinez, Fernando Leka e Rafael Crispim

Outro Sim 
Outrora, outra vez, outro lar
Outro lugar, outra mulher, outro homem
O trem vai pra uma outra estação
Um outro inverno e lá vem outro verão

Ao outro tanto a ti quanto a mim
Um outro bem, um outro amor, outrossim
Não é fácil aceitar alguém
E ser aceito pelo outro também

Sempre haverá outra esquina
Outra beleza, outro cara, outra mina
Sempre haverá um mané, sem noção, um otário 
Querendo atrasar

Sempre haverá outro dia
Ensolarado e outra noite vadia
Sempre haverá outra chance
Outra mão ao alcance querendo ajudar

Outra favela, novela
Outro barraco, buraco
Outra cachaça, manguaça em outro bar
Outro marido traído
Outra esposa ansiosa
Outra amante excitante querendo dar 

Outra cabeça, sentença
Outro recanto, encanto
Outra viagem, vertigem em outro mar
Outro sentido ou saída
Outra maneira ou medida
De dar a volta por cima, querendo dar

Nenhum comentário:

Postar um comentário