quinta-feira, 5 de maio de 2016

Versalle lança seu grande álbum Distante de Algum Lugar no Rio Novo Rock do Imperator



O Rio Novo Rock deste maio rola nesta quinta, dia cinco, no Imperator, com as bandas Memora, Versalle, o DJ Jairo Venancio e o VJ Chico Abreu. Peço desculpas ao Memora, mas vou me concentrar no Versalle, terceiro lugar no Superstar de 2015. Eles são de Porto Velho, Rondônia, de onde passei a ter laços em 2013, quando assisti o festival Casarão. 





Na época me disseram lá que a cena de bandas autorais era pequena, cheguei a ver uma banda eletrônica muito boa, a Wari, mas me falaram que a maior parte era de bandas cover. Bati um papo rápido com o guitarrista e vocalista Criston Lucas numa ligação picotada por conta do mau serviço de nossas operadoras. Ele me disse que falta lugar em Porto Velho para as bandas autorais tocarem, que a banda era um hobby para eles por falta de condições.





A banda existe desde 2009 e lançou dois EPs e dois singles independentes antes de ser apresentada ao Brasil, o que lhes valeu a participação no último Lollapalooza. Entre suas influências citam Weezer, Queens of the Stone Age, Placebo, Blur e Strokes. Entraram no Superstar por gestos de ousadia. Se inscreveram na base do vamos ver no que dá e deu. Foram aprovados a uma seletiva da Região Norte que não aconteceu por falta de inscritos, se quisessem tentar uma vaga tinham que ir até Recife, se viraram, foram e ganharam acesso ao programa. Para uma banda de Rondônia uma grande conquista, o trampolim pra cena nacional.





Ganharam contrato com o selo Slap da Som Livre e lançaram em dezembro último o álbum Distante Em Algum Lugar, um disco bem amarrado com um repertório consistente e destaque para o trabalho de guitarras de Criston e do guitarrista Romulo Pacífico. Uma bela pesquisa de timbres, de saber casar as duas guitarras em sonoridades contrastantes, um resultado que Criston me disse dividir com os produtores André Valle e Aurélio Kauffmann, dois músicos experientes. Na faixa de encerramento Dúvidas, por exemplo, abre-se um amplo espaço para as duas guitarras , uma distorcida, a outra limpa, só lamento que não estejam uma em cada canal para melhor apreciação.



Sobre as letras perguntei a Criston se ele e Romulo eram existencialistas. Ele admitiu que sim, algo nessa linha, que ouvia queixas de as letras serem muito tristes, mas que era a deles irem nessa direção de perplexidade diante dos dilemas da vida, dos valores, da visão do indivíduo frente à realidade. Em Não Consigo Mudar, ele diz que “tudo flutua sem causa e sem nexo...opiniões controvertidas, assuntos superficiais... Corda bamba de autoflagelação. O que foi que fiz dessa vez? Eu não consigo mudar.” Guitarras distorcidas criam um clima sufocante, tudo carregado nos graves e um vocal dramático.





Variações aparecem em outras canções como Avante (“Vai fluindo devagar, o fluxo da vida vai te levar”), Dúvidas (Utopia, ilusão, sair da contramão. Esquecer a solução, que sejam dúvidas, dívidas / dádivas”) e Marte (“Somos estrelas somos pó buscando o divino a evolução. Será que somos deuses como dizem os ancestrais. Ou pura diversão de outros seres como nós”).

 Modelo Adequado critica o mainstream musical e suas exigências de diluição. “Conduta estereotipada é a garantia da aceitação. Ações e atitudes rotuladas, produto da alienação... Eu sou de plástico, e você? Condescendente, conveniente, articulado. O modelo adequado.”Levada mais leve, com muitas frases de uma guitarra suja na primeira parte e um refrão fácil, bem no espírito da letra.

Criston tem uma voz grave, modulada, com uma guitarra que entrosa com a de Romulo Pacífico, ambos muito bem calçados pelo baixo de Miguel Pacheco e a bateria de Igor Jordir. Mais uma vez peço desculpas ao Memora, mas acompanho a Versalle há algum tempo e não tinha ainda escrito sobre os meninos que colocaram no mapa do Rock Brasil um belo estado desconhecido da maioria dos brasileiros.

O Imperator ou Centro Cultural João Nogueira, fica na Rua Dias da Cruz nº  170. O horário é a partir das 20h e o ingresso custa R$20 e R$10. Paga meia quem levar um quilo de alimento não perecível. Sábado, lá mesmo às 21h toca a banda Suricato, outra revelação do Superstar.

Um comentário:

  1. Adorei o álbum, todas músicas mostram sentimentos verdadeiros,especialmente, em minha opinião, Eu não consigo mudar,adorei a música. E sobre a crítica, excelente, vou indicar no meu blog tanto o álbum com a crítica rs. Abraço

    ResponderExcluir