sábado, 29 de outubro de 2016

Fernanda Abreu estreia Amor Geral com show impecável que sacode a plateia do Vivo Rio

Fotos de Cleber Junior

Fernanda Abreu descobriu o elixir da eterna juventude. Só pode. Cantar e bailar durante hora e meia como fez na deslumbrante estreia de Amor Geral na noite de sexta no Vivo Rio não é pra qualquer um aos 55 anos, a idade cronológica dela. A disposição que via nos shows da Blitz nos anos 80 está lá, não no mesmo pique, claro, mas numa performance impecável, a voz clara, sua emissão está bem melhor e o espetáculo tem um gosto de quero mais. A gente não sente o tempo passar. 



O problema para a maioria da plateia que lotou a casa foi ficar sentada nas mesas. A música emitida por uma banda impecável joga todo mundo no modo dançante, lá pelo meio já tinha gente levantando, nas laterais muitos que abandonaram seus lugares para soltar a franga.



Estreias geralmente são tensas, a primeira vez fora dos estúdios de ensaio dá nos nervos, pode ser impressão minha, senti este clima mas, se  teve algum furo só eles perceberam, a plateia se entregou de bandeja. O setlist teve dezenove músicas de todas as fases da carreira, desde um  medley do primeiro álbum solo, Sla Radical Dance Disco Club (março de 1990) até seis das 10 músicas do recente Amor Geral, que leva agora para a estrada.



O amplo palco do Vivo Rio foi totalmente aproveitado para efeitos em led com formas geométricas com predominância do vermelho e do branco, com moving lights intervindo com outras cores. Tem um efeito de 3D com a colocação de quadros de luz mais à frente do palco, autoria de Luiz Stein. 


Alegria, Victorya, Fernando, Fernanda

Os cinco músicos ficaram bem separados, com Fernando Vidal (guitarra) destacado no lado direito (visão da plateia), Vanderlei Silva (percussão) no fundo, no lado esquerdo Tuto Ferraz (bateria), André Carneiro (baixo) e Donatinho (teclados). A backing vocal e dançarina Alegria Mattos participa, junto com a bailarina Victorya Devin e Fernanda das coreografias, sempre um destaque nos shows porque Fernanda faz dança desde a adolescência.


Tuto Ferraz (bateria) e André Carneiro (baixo)

A dinâmica do show está tinindo, não tem nenhum momento de queda no ritmo. A jovem senhora protagonista mostra uma forma física perfeita, alta, esguia, de modelito preto, leva tudo com segurança e apuro. 



Fernanda abre com um texto sobre as intenções de Amor Geral, que ela diz sintonizar a antiga, mas sempre pertinente verdade sobre a força do amor no sentido gera, que parte desde o romântico ao universal, com respeito no convívio social e tolerância às liberdades individuais. 

O novo CD é pleno de hits em potencial, ela abre com um deles, Outrossim, de letra esperta, aliás um destaque no disco, de discurso inspirado: “Sempre haverá outro dia ensolarado e outra noite vadia. Sempre haverá outra chance, outra mão ao alcance querendo ajudar. Outra favela, novela. Outro barraco, buraco. Outra cachaça, manguaça em outro bar. Outro marido traído. Outra esposa ansiosa. Outra amante excitante querendo, dá.”


Victorya (E), Fernanda e Alegria

Como privilegia as coreografias, há sempre generoso espaço nas músicas para a dança e para a banda soltar o groove. Baixo, batera e percussão garantem o ritmo, enquanto Fernando Vidal faz pontuações roqueiras e Donatinho reforça com frases curtas de synth e efeitos. Nas canções ele faz vocal com um vocoder old school modulando no teclado, além de sair dançando e tocando com um teclado pendurado no pescoço (keytar), bem saidinho.


Donatinho

O público de qualquer artista vai ao show para ouvir sucessos, é o eterno dilema dos músicos, querem mostrar novidades e o povo pede as antigas. Fernanda escapou um pouco disso por conta do balanço, mas incendiou mesmo quando partiu para hits como o hino Rio 40 Graus (cada vez mais purgatório da beleza e do caos – já teve tiroteio hoje aqui no Lins), Garota Sangue Bom, Baile da Pesada e outras (ver setlist). Amor Geral, Outrossim, Tambor, Double Love, as novas, tem tudo para se incorporarem ao repertório permanente dela. 


Vanderlei Silva

O grande finale foi Baile Funk, em que faz um medley de canções antigas de carnaval e funks já clássicos como aquele do “Eu só quero é ser feliz...”. No palco dançarinos do grupo Cazu, de Victorya Devin, e do ritmo passinho. Fernanda cantou na lateral do palco e deixou o centro para as evoluções da turma. Apoteose total.



Fernanda mandou algumas mensagens.  Falou do segundo turno, mas apenas para pedir um voto consciente, enquanto gritos de “Freixo” vinham da plateia. Disse que tinha falado com a grande coreógrafa Debora Colker que lhe pediu para dizer que a cultura resiste, que os artistas tem coragem de fazer show, fazer música, fazer teatro, fazer dança. E ainda lamentou que em pleno século 21 ainda se chame negro de macaco e persista a cultura do estupro e que sua intenção é espalhar Amor Geral. Como cantou um antigo quarteto inglês All You (We) Need Is Love. Fernanda faz sua parte lindamente.




SETLIST
Amor Geral - texto
Outrossim – álbum Amor Geral – 2016
Eu Vou Torcer – Na Paz (2004)
Saber Chegar – Amor Geral
Você Pra Mim – Sla Radical Disco Dance  Club  -1990
Bidolibido – Na Paz -2004
Deliciosamente – Amor Geral
Veneno da Lata – Da Lata – 1995
Garota Sangue Bom – Da Lata
Medley – Sla Radical Dance Disco Club - Idem
Kátia Flávia, a Godiva do Irajá – Raio X – 1997
Baile da Pesada – Entidade Urbana -2000
Double Love – Amor Geral
Rio 40 Graus – Sla 2 Be Sampled – 1992
Tambor – Amor Geral
BIS
Jorge da Capadócia – Sla 2 Be Sample
Brasil País do Suingue – Da Lata
Baile Funk -  MTV Ao Vivo (2006)

Obs. A discografia de Fernanda foi toda reeditada.

FICHA TÉCNICA
BATERIA E PROGRAMAÇÃO ELETRÔNICA - TUTO FERRAZ
BAIXO - ANDRE CARNEIRO
GUITARRA - FERNANDO VIDAL
TECLADOS - DONATINHO
PERCUSSÃO  - VANDERLEI SILVA
VOCAIS - ALEGRIA MATTOS
BAILARINA - VICTORYA DÉVIN 
DIREÇÃO GERAL: FERNANDA ABREU
 ASSISTENTE DE DIREÇÃO: CRISTINA AMADEO
 DIREÇÃO MUSICAL: FERNANDA ABREU E BANDA
CENOGRAFIA E VIDEOCENOGRAFIA: LUIZ STEIN 
DESENHO DE LUZ: ARTHUR FARINON
FIGURINOS: ROGERIO S
COREOGRAFIA: FERNANDA ABREU E CRISTINA AMADEO
CENOTÉCNICA - MM CENOGRAFIA
DESENHOS TÉCNICOS - TELLO GEMMAL 
COORDENAÇÃO DE PRODUÇÃO: MAITE QUARTUCCI E ALEXANDRE SANTOS
PRODUÇÃO EXECUTIVA: CLARISSA MARTINS E PATRICIA SILVA
ASSESSORIA DIGITAL: KATIA MARQUES
ENGENHARIA DE SOM: RONALDO LIMA ( PA )ALEXANDRE RABAÇO (MONITOR)
ILUMINADOR: CARLOS FIRMINO
DIRETOR DE PALCO: IRAN BERNARDES
 ROADIES: MICHEL HARLEI E JUNIOR
APOIO: Concha y Toro e Casillero del Diablo
REALIZAÇÃO ARTÍSTICA: GAROTA SANGUE BOM PRODUÇÕES, PUBLICAÇÃO PRODUÇÕES e MQT PRODUÇÕES CULTURAIS


Nenhum comentário:

Postar um comentário