sexta-feira, 5 de maio de 2017

Drenna e Baleia marcam boa presença no Rio Novo Rock



Drenna - Fotos de Cleber Junior

No Rio Novo Rock desta quinta no Imperator tive mais uma vez a certeza da sacanagem que é uma banda nova não ter seu devido lugar na música brasileira. A Drenna fez um show impecável, com muito punch, ótimo repertório e uma frontwoman, a própria Drenna, que incorpora mais uma grande voz feminina ao Rock Brasil. Contou no palco com o aval do Paralama Bi Ribeiro, que tocou baixo em Navego e Hoje Somos Um Só. A segunda banda, Baleia tem uma vocalista, Sofia Vaz, com problemas de dicção. Não entendi o que ela cantava, estava no poleiro, perguntei a quem estava embaixo e foi a mesma coisa. A banda é excelente, muito bem entrosada, um som poderoso nas canções rápidas, mas muito arrastadas nas lentas, o povo não arredou pé enquanto estava nas agitadas, mas começou a debandar nas lentas arrastadas.


Drenna

A Drenna tocou quase todo o repertório do recém lançado álbum Desconectar, em muitas delas Drenna  esbanjou sua potente garganta e solou bem na guitarra. Ela deixa o instrumento para se concentrar só na interpretação em algumas músicas. Seu guitarrista, Junior Macedo, é criativo nas intervenções. O baixista Bruno Moraes tinha seu instrumento bem audível e teve intervenções certeiras em muitas canções. O baterista Milton Carlos tem uma mão pesada com boas levadas em que usa bastante os pratos de condução e ataque.
Com a ajuda da dupla de tecladistas Lítio, Drenna fez uma leitura rock pesada de Roda Viva, de Chico Buarque, uma canção de protesto da época da ditadura. Drenna soube dosar muito bem lentas e rápidas, num show dinâmico  digno de qualquer palco com várias canções que poderiam ser sucesso se o mercado não estivesse contaminado por breganejos e afins, com rádios que só tocam se o artista pagar.


Bi Ribeiro e Bruno Moraes - Drenna

clique aqui e veja mais fotos

Com a Baleia a história é diferente. As sempre citadas influências de Radiohead e Arcade Fire às vezes descambam para um Sigur Rós, o que dificulta a aceitação de uma certa faceta da banda, em músicas lentas, sem melodias agradáveis. É uma banda de muitos recursos, recorre a violino, guitarra e baixo tocados com arcos, efeitos nas guitarras, uso criativo dos teclados. É um som que nos 70 se classificaria de progressivo, agora vai do experimental ao mais assimilável. A banda não deve ter pretensões ao mainstream, deve ficar mesmo num nicho de mercado. Não que o repertório seja hermético, longe disso, mas faz um show que tem problemas de dinâmica e cansa a plateia. Na saída um amigo me perguntou se eu ainda estava acordado. Foi zoação,  claro, mas é uma reação que a banda provoca.


Baleia

Os arranjos são muito trabalhados. O guitarrista Gabriel Vaz toca guitarra e, em muitas músicas, toca percussão e canta, quando passa a guitarra para a vocalista Sofia Vaz. Muitas das canções arrastadas o tem no vocal. Ela tem uma emissão pequena, com problemas de dicção, o que dificulta o entendimento das letras.  O outro guitarrista, Felipe Pacheco, também toca violino, o que dá um toque mais pro jazz aos arranjos. O uso de arco no baixo de Cairê Rego enriquece a sonoridade de algumas canções. O teclado de David Rosenblit tem participação essencial com muitas intervenções enriquecedoras dos arranjos. O baterista João Pessanha se sai bem da tarefa de pontuar tantas variações sonoras. A Baleia existe desde 2010, me penitencio de não conhecer ainda a banda e passarei a acompanhá-la, bem como ouvir seus discos.


Sofia Vaz - Baleia

O Rio Novo Rock, dirigido por Paulo Lopez, é bimestral a partir de agora. Vem contribuindo de maneira real para dar palco para bandas pouco conhecidas. A edição deste maio foi muito boa, duas bandas entre as melhores da longa lista que por lá passou. A Drenna participou da primeira edição há três anos. Vida longa e próspera ao Rio Novo Rock.

Felipe Pacheco - Baleia

Setlist Drenna
Sabotagem
Anônimo
Ela vai chamar sua atenção
(Andar sozinho)
Odisseia
Retorno
Navego (part. esp. Bi Ribeiro)
Hoje somos um só (com Bi Ribeiro)
Alivio
Roda viva (Part. esp. Litio)
Entorpecer
Desconectar
Verdades

Setlist Baleia
Hiato
Duplo
Tarde
Volta
Breu
Véspera
Casa
Estrangeiro
My Country
Despertador
Motim
Noite

Nenhum comentário:

Postar um comentário