sexta-feira, 16 de junho de 2017

Festival que comemora 50 anos do Monterey International Pop Festival começa nesta sexta em Monterey

Cartaz da edição de 50 anos

Começa hoje em Monterey, Califórnia, o festival que comemora os 50 anos do Monterey International Pop Festival, realizado de 16 a 18 de junho de 1967 em pleno Verão do Amor. Por coincidência, 16 a18 este ano também é de sexta a domingo. 



Cartaz do festival de 1967

Os tempos são outros e as atrações idem. Não há nenhum grande nome atual ou do passado no lineup, que inclui Jack Johnson, Norah Jones, Gary Clark Jr, Booker T Stax Revue, Regina Spektor e Kurt Vilke and The Violators, entre outros. 

O local é o mesmo, o parque  Monterey County Fairgrounds e a plateia será limitada a 10 mil espectadores por dia.  Há 50 anos cabiam sete mil pessoas, mas estima-se que, por volta de 10 mil lá estiveram durante cada dia, além de milhares que acamparam nas imediações para curtir a ambiência e o verão do amor sob o motto do festival Music, Love and Flowers.




Tentar recriar o espírito de 1967 é impossível nos tempos atuais. O clima na Califórnia era hedonista, o início do sonho de uma nova era que não se concretizou, mas era fervorosamente sonhada pelos milhares de jovens que acorreram a San Francisco e a Monterey para praticar o amor livre, curtir música e se drogar. Naquela época havia uma “ideologia” que justificava as drogas como instrumentos para ativar novas potencialidades do cérebro e para alcançar o nirvana, um estado de paz interior. A maconha e o ácido lisérgico (LSD) seriam instrumentos desta busca. Os jovens americanos também estavam sob a ameaça do recrutamento para lutar no Vietnã, um importante incentivo para fugirem de casa.


Protestos contra o recrutamento para lutar no Vietnã

O Festival foi organizado em sete meses pelo vocalista da banda Mamas and Papas John Philips, com o produtor Lou Adler, o empresário Alan Pariser e o assessor dos Beatles Derek Taylor. Uma discussão entre eles e Paul McCartney sobre o rock não ter o status do jazz acabou levando a ideia de um festival que promovesse o rock como uma forma de arte. Paul não participou da organização, mas recomendou The Who e Jimi Hendrix, americano “exilado” em Londres e já popular no Reino Unido, apesar de desconhecido em sua América natal.


O lema do Festival era Music, Love and Flowers e jovens como elas eram chamadas de Flower Children

O festival foi para fins de caridade, os artistas não receberam cachê, com exceção do Who e de Country Joe, passagens e acomodações garantidas pela produção. Os ingressos ficaram entre três dólares e seis dólares e cinquenta, dependendo do setor, aos preços de hoje de 22 a 47 dólares por dia. No festival de agora, paga-se US$ 295 na pista pelos três dias, US$ 450 (mesma cadeira pelos três dias) e US$ 650 no setor VIP. 



A canção San Francisco (Be sure to wear flowers in your hair) composta por John Philips e gravada por Scott McKenzie foi lançada como tema do festival.
Duas bandas recém surgidas na Califórnia, Jefferson Airplane (San Francisco) e Grateful Dead (Palo Alto) foram destaque no festival, mas nada parecido com a performance de três nomes nada ou pouco conhecidos na América. Jimi Hendrix foi pinçado pelo ex-baixista dos Animals Chas Chandler do Café Wha, no Village NY, para Londres, onde emplacou seus primeiros sucessos Hey Joe e Purple Haze e o álbum Are You Experienced?, mas precisou chegar ao festival por recomendação de Paul McCartney, acompanhado do Rolling Stone Brian Jones, que o apresentou ao público. 




Num setlist de nove canções, ele encerrou com Wild Thing e tocou fogo na guitarra, que berrou feedbacks em sua agonia. Jimi teve a ideia nos bastidores quando o Who quebrou a guitarra e a bateria e ele decidiu que não podia ficar atrás.





Desde o ano anterior, a texana Janis Joplin era vocalista da banda de San Francisco Big Brother and The Holding Company. Já tinha lançado o primeiro álbum com a banda, de repercussão pífia, ainda iria lançar o segundo, Cheap Thrills, antes de decolar para sua meteórica e curta carreira solo. A banda encerrou com Ball and Chain, de Big Mama Thornton, numa interpretação arrebatadora de Janis que comoveu todo mundo. A emblemática cena de Mama Cass, dos Mamas and Papas, de boca aberta resume a reação provocada por ela.




The Who era famoso no Reino Unido, fez dois shows em Nova Yrok, meses antes do festival, mas em Monterey foi devidamente apresentado à América. Com um set vibrante de seis músicas, terminou com seu hit My Generation e também deve ter deixado Mama Cass de boca aberta quando Pete Townshend quebrou sua guitarra e Keith Moon chutou sua bateria, espalhando tambores pelo palco. A partir daí, a banda conquistou a América.




O mundo foi apresentado à citara pelo Beatle George Harrison em Norwegian Wood (Rubber Soul album), Love You To (Revolver), Within You Without You (Sgt Pepper’s) e pelos Rolling Stones em Paint It Black, tocada por Brian Jones. Em Monterey conheceu-se o grande mestre indiano e professor de Harrison, Ravi Shankar, que apresentou um trecho de sua longa peça (quatro horas na íntegra) Raga Dhun. 


Ravi com cenas do publico

O festival foi encerrado pelos Mamas and Papas do organizador John Philips, de grande sucesso com hits como California Dreamin’, Monday Monday. Got a Feeling e outros.


Alguns artistas convidados não quiseram ou não puderam ir. Como Paul McCartney participou das discussões preliminares, sondaram se os Beatles participariam, mas eles ficaram firmes na disposição de não se apresentar mais ao vivo. Os Rolling Stones não conseguiram visto de trabalho por causa de prisões recentes em Londres por porte de drogas. Já Brian Jones conseguiu entrar sem problemas, apesar de também ter ido em cana pelo mesmo motivo. A Imigração americana também rejeitou vistos a dois artistas ingleses, o cantor Donovan e a banda The Kinks. 

Duas bandas importantes não foram cogitadas pelos organizadores, Cream, de Eric Clapton, e The Doors, de Jim Morrison. Bob Dylan alegou que ainda estava em recuperação do sério acidente de motocicleta em 29 de julho de 1966. Ele passeava com sua Triumph T 100 pelas estradas de Woodstock quando perdeu a direção e se estabacou no chão.
 Frank Zappa recusou se apresentar no mesmo palco das bandas de San Francisco, que considerava bem piores que ele e perdeu uma divulgação mundial.

LINE UP
Sexta, 16 de junho
The Association
The Paupers
Lou Rawls
Beverley
Johnny Rivers
Eric Burdon and The Animals
Simon & Garfunkel

17 DE JUNHO, SÁBADO
Canned Heat
Big Brother and the Holding Company
Country Joe and the Fish
Al Kooper
The Butterfield Blues Band
The Electric Flag
Quicksilver Messenger Service
Steve Miller Band
Moby Grape
Hugh Masekela
The Byrds
Laura Nyro
Jefferson Airplane
Booker T. & the M.G.'s
The Mar-Keys
Otis Redding

18 DE JUNHO, DOMINGO
Ravi Shankar
The Blues Project
Big Brother and the Holding Company
The Group With No Name
Buffalo Springfield (com David Crosby no lugar de Neil Young)
The Who
Grateful Dead
The Jimi Hendrix Experience
Scott McKenzie
The Mamas & the Papas

Veja alguns setlists 
Se quiser ver todos os setlists do Festival clique aqui 

JIMI HENDRIX
Killing Floor (Howlin’ Wolf cover)
Foxy Lady
Like a Rolling Stone (Bob Dylan cover)
Rock Me Baby (B.B. King cover)
Hey Joe (The Leaves cover)
Can You See Me
The Wind Cries Mary
Purple Haze
Wild Thing

THE WHO
Substitute
Summertime Blues (Eddie Cochran cover)
Pictures of Lily
A Quick One (While He's Away)
Happy Jack
My Generation

BIG BROTHER AND THE HOLDING COMPANY
Down on Me
Combination of the Two
Harry (Janis Joplin song)
Roadblock
Ball 'n' Chain (Big Mama Thornton cover)

RAVI SHANKAR
Rãga Bhimpalasi
Rãga Todi-Rupak Tal (7 Beats)
Tabla Solo In Ektal (12 Beats)
Rãga Shuddha Sarang-Tintal (16 Beats)
Dhun In dadra and fast teental (6 and 16 beats)



Um comentário: