segunda-feira, 25 de setembro de 2017

30 Seconds to Mars repete a fórmula de 2013 e se dá bem

Por Thais Monteiro*

Obs. Não permitiram que fotografássemos o show.

Açaí, tirolesa e efeitos. Se a fórmula é boa e dá certo, a banda repete. 30 Seconds to Mars foi a penúltima banda a se apresentar na edição de 2017 do Rock in Rio em uma noite predominantemente californiana. Jared Leto, além de cantor, é ator e sabe desempenhar bem o papel de protagonista na telona e nos palcos. A banda é uma das mais bem sucedidas da atualidade. Eles carregam na bagagem mais de cinco milhões de cópias vendidas em todo o mundo, prêmios MTV, Billboard e até mesmo um recorde no Guinness Book, de turnê mais longa da história. E, por falar em história, a banda continua escrevendo a sua e muito bem, por sinal. Já é a segunda vez que se apresentam no Rock in Rio.
Jared Leto entrou no palco cm um visual extravagante, pedindo para o público pular e foi prontamente atendido. Uma energia incrível começou a rolar. Bem à vontade, a interação com o público aconteceu o tempo todo.  O frontman ainda tomou açaí no palco. Se depender do público e da resposta que ele deu ao show de hoje, a banda já tem meio caminho andado para ter muitos anos de sucesso. Todas as músicas foram cantadas em uníssono, os fãs deram um show à parte. No set também entraram sucessos como Kings and Queens e This Is War.
A apresentação contou com vários efeitos especiais, como chuva de papel picado, fumaça, balões coloridos, bem típico das turnês da banda. No meio da apresentação, Projota fez uma rápida aparição no  palco para cantar Walk on Water com Leto. O trio é formado por multi-instrumentistas, o que faz com que haja um passeio dos músicos pelos instrumentos, o que é interessante de se observar. Foi em um momento com apenas instrumental que notamos a ausência do vocalista no palco.
Quem apostou no repeteco da descida da tirolesa, como em 2013, acertou. Jared Leto sobrevoou um mar de gente com flashes ligados, registrando o momento. Assim que ele retornou ao palco, puxou The Kill em uma versão acústica, permitindo que o público descansasse um pouco para o momento final, com Closer To The Edge. Ainda deu para dois fãs subirem ao palco, um paulista e outro vindo do sul do país. Esse tal Jared Leto é um cara que sabe dominar não só o palco, mas também o público.

*Repórter convidada para cobrir o festival.

Nenhum comentário:

Postar um comentário