quarta-feira, 13 de setembro de 2017

Nova Cidade do Rock in Rio é a melhor desde a primeira edição

Palco Mundo - Fotos de Cleber Junior

Estive hoje num preview do Rock in Rio para imprensa e convidados com uma apresentação feita pelo criador do festival, Roberto Medina e sua filha executiva Roberta Medina. Depois da apresentação tivemos acesso à nova Cidade do Rock, dentro de parte das instalações olímpicas do ano passado. Sem dúvida é a mais bonita e transada de todas as edições desde 1985. Amplos espaços com áreas de lazer, muito comércio, brinquedos, games om uma tela gigantesca,e os palcos onde se apresentarão as atrações a partir desta sexta.

Uma operação que exige 20 mil homens que vão das formas mais braçais até a alta tecnologia num centro de controle que monitora a Cidade do Rock e fará serviço de utilidade pública, passando informações o tempo todo para quem baixar o aplicativo do festival. Roberta disse que se trata de uma verdadeira Smart City.


Roberta Medina apresentou a Cidade do Rock e infraestrutura

Estava tudo operando para que se pudesse sentir como a Cidade funcionará, menos a ala de imprensa que não conseguimos localizar. Ouvi queixas de que os preços das lanchonetes estão altos, comer lá é inevitável, já que funcionará de duas da tarde até as quatro da manhã, a hora que a tenda eletrônica encerra seus trabalhos. Os brinquedos não irão tão longe, param a uma da manhã, quando os headliners ainda estarão se apresentando no Palco Mundo. Andei por mais da metade dela antes que meus pés pedissem arrego, tem uns pontos em que é possível sentar, mas muito poucos.


Roberto Medina pediu um esforço a favor do Rio


Achei a boca do Palco Mundo pequena, esses palcos fechados limitam a visão. O público tem que se espremer num ângulo mais fechado para enxergar. O Palco Mundo tem uma pequena passarela e uma escadinha pros artistas que desejarem descer para perto do público. Não estava terminado, mas me pareceu que não haverá passarelas laterais, para que os artistas se desloquem de uma ponta a outra. O palco Sunset, meu favorito, está muito legal e não muito longe do palco principal. Houve um chamado para coletiva de imprensa que não se concretizou, sem oportunidades para perguntas. Eu gostaria de ter perguntado porque The Who  fará um show menor do que tem feito nos Estados Unidos se foi anunciado como coheadliner com o Guns’n’Roses, velho xodó do Roberto Medina. Primeira vez no Brasil de uma das bandas mais importantes do rock, com mais de 50 anos de história! O Guns está aqui toda hora. 


A concorrida Tirolesa

A imprensa não pode perguntar, mas levou puxões de orelhas. O Roberto se queixou que a imprensa não noticia as coisas boas do Rio. Uma cidade assolada por tiroteios, com mortes de inocentes, crianças sem aula por causa da guerra entre quadrilhas e com a polícia, com milhares de funcionários públicos em estado de penúria, ele quer o que? O bispo da Universal, Marcelo Crivella, aproveitou também para dizer que a imprensa não noticia coisas boas, como aumento de cirurgias em hospitais. Não é o que vemos, fartamente documentado com fotografias e filmagens. Além disso fazer tudo funcionar é obrigação dele , não se elegeu dizendo que ia cuidar das pessoas?
Enfim, O Rock in Rio é um grande parque de diversões com atrações musicais como ganchos para atrair público.



Um comentário:

  1. Eu fui no evento que antecedeu a este, não irei neste porque nada no headline me atraiu e, acima de tudo, espero que as mazelas de sempre, com banheiros, filas, trânsito, transporte e caminhadas quilométricas sejam superadas.

    ResponderExcluir