domingo, 24 de setembro de 2017

Titãs mostram no Rock in Rio músicas de uma inédita Ópera Rock

Sérgio Britto - Fotos de Cleber Junior

Queimei minha língua com 0s Titãs no Rock In Rio. Já vi mais de 100 shows deles desde que apareceram no Rio em 1982 ou 83. Comecei a ver o show, novidade alguma, as músicas de sempre, aí pensei "esses caras tão fazendo sempre a mesma coisa." Nisso Branco Mello anunciou que iam tocar três músicas de uma ópera rock a ser lançada em 2018. Me fudi, Ainda bem, é a reação de uma banda que perdeu um de seus principais vocalistas, Paulo Miklos. Admitiram Beto Lee, ganharam em potência sonora, mas perderam no vocal.

A primeira inédita é 12 Flores Amarelas, que fala de feitiço e morte, sombria e calcada em teclados. A seguinte evoca Rape Me, do Nirvana, no título, Estupre-Me, que tem como refrão "Me estupre, me desculpe, seja lá porque for." A terceira é esbórnia, A Festa, acelerada, que fala em abalar geral, chapar, fumar bagulho, aprontar todas.


Branco Mello

A bem da verdade, show de festival tem que ser mesmo de sucessos, até ousado tocar as inéditas, porque a multidão está no modo zoação. O Rock in Rio é um imenso parque de diversões e uma selfieland. E não faltaram músicas pras pessoas cantarem, como três meninas perto de mim que cantavam a plenos pulmões canções que saíram antes de elas nascerem, uma mostra de renovação de público dos Titãs.


"Esta música é de 1987, mas parece que foi feita semana passada," disse Sergio Britto ao anunciar Desordem. “São sempre os mesmos governantes, os mesmos que lucraram antes. Os sindicatos fazem greve
porque ninguém é consultado. Pois tudo tem que virar óleo pra por na máquina do estado. Quem quer manter a ordem? Quem quer criar desordem?”


Tony Belotto

Sérgio Britto anunciou Epitáfio como uma espécie de oração, que pediu para cantarem juntos como um apelo à paz no Rio de Janeiro. O mesmo Sérgio explodiu em Aluga-se, o irônico hino de Raul Seixas lançado há mais de 40 anos e que hoje pode ter o título trocado por Vende-se. “Ocrides,” grita Branco e a multidão vai atrás no libelo contra a Televisão. Será que foi ao ar na Globo?


Beto Lee

O momento mais forte foi o encerramento, quando cantaram a visceral Vossa Excelência para o público soltar os bicho no refrão "Filha da puta, bandido, corrupto, ladrão,"  Polícia teve um alerta para as forças de segurança com citação de Fardado, "Você também é explorado, soldado."  E o povo soltou o mote do festival: “Fora Temer.” Fim  Ah, Titãs é Sergio Britto (voz e teclados), Branco Mello (baixo e voz), Beto Lee (guitarra), Toni Belotto (guitarra), Mário Fabre (bateria).

Nenhum comentário:

Postar um comentário